Algumas Perguntas e Respostas Sobre Iridologia

1- A iridologia é considerada uma ciência?
A parte colorida dos nossos olhos, a íris, reflecte o nosso corpo físico, psíquico e emocional e através das alterações estruturais que nela se apresentam podemos verificar como estão esses corpos. Para tanto é necessário saber interpretar esses sinais. Temos técnica para ajudar essa interpretação, como temos técnica para interpretar um exame de ultra-sonografia. Deste ponto de vista, podemos considerar a iridologia como sendo uma ciência.

2- Qualquer pessoa pode fazer um exame através da íris?
Sim, desde que tenha a córnea (membrana que fica na frente da íris) transparente.

3- A Iridologia confirma os males do organismo com 100% de exactidão?
A iridologia não analisa doenças mas tem a capacidade de revelar o estado de intoxicação de uma pessoa sugerindo órgãos mais afectados ou os órgãos onde mais provavelmente se manifestará uma enfermidade. Também nos informa das melhorias e das complicações, além de nos alertar das condições constitucionais daquele organismo. Quanto mais marcada for a íris de uma pessoa tanto menos será sua resistência às enfermidades.
O estudo da íris revela-nos também importantes dados sobre os corpos psíquico e emocional de uma pessoa. Hoje, quanto mais se compreende o papel dos estados psíquico/emocional nos processos de saúde e doença, mais prezadas devem ser estas informações.

4- Como se explica que a Iridologia pode detectar os “males” da alma?
Leonardo da Vinci com muita propriedade afirmou que "Os olhos são o reflexo da alma". Através da íris podemos verificar como está a Energia Vital de uma pessoa e como esta está manifestando esta energia nos corpos físico, psíquico e emocional. Portanto podemos verificar os potenciais e os bloqueios que esta pessoa apresenta, bem como traços de sua personalidade. Podemos ainda ir mais longe, pois através dos olhos podemos demonstrar que tudo no Universo está interligado: as energias criadoras, o sistema solar, os planetas, os seres humanos, os nossos corpos físico, mental e emocional. Nossos olhos revelam a unidade existente entre o consciente com o inconsciente, do homem com a natureza, da criatura com o Criador.

5- Como se sabe, através da íris qual órgão do corpo está doente?
Podemos verificar qual ou quais órgãos estão intoxicados entretanto essa informação não atesta se neste momento este órgão está ou não manifestando alguma sintomatologia. Ele pode estar doente ou vir a ficar doente, isso não podemos saber, nestes casos, pedimos exames complementares como ultra-sonografia, radiografia, exames de sangue e outros.

6- Os sinais que aparecem na membrana são diferentes uns dos outros?
Encontramos dois tipos de alterações na íris:

a) Alterações topográficas

b) Alterações de coloração

Nas alterações de coloração, encontramos lesões que mancham ou desbotam a íris. São gotas de tintas, pinceladas. Bidimensionais, não têm profundidade. Já aquelas alterações em relevo apresentam três dimensões. São profundas, escavam a superfície da íris.

7- Como são esses sinais? Cor, tamanho e formato.
Dentre as alterações topográficas podemos encontrar:

Anéis nervosos: são círculos concêntricos frequentemente incompletos que aparecem mais na periferia da íris.
Criptas: são alterações da membrana iridiana onde esta se abre, separando as fibras expondo o tecido subjacente. Estas criptas podem ser de 3 tipos: lagunas, divulsões abertas e divulsões fechadas.
Pulverulência: minúsculos buracos arredondados que se podem localizar por todo o parênquima iridiano.
Buracos irregulares: quando aparecem são em pouca quantidade.
Raios solares: são riscos ou sulcos que se dispõem radialmente na íris.

Dentre as alterações de cor podemos encontrar:

Depósitos tóxicos: podem ser esbranquiçados, avermelhados, acastanhados, castanhos, negros, e podem se encontrar em qualquer área da íris.
Manchas psóricas: são manchas delimitadas com coloração que pode variar do amarelo até o negro.
Rosário Linfático: pequenas manchas esbranquiçadas, que aparecem na periferia da íris, lembrando um rosário.

[ Voltar ]